Estações 1Estações 2Monotrilho15_1Monotrilho15_2Monotrilho15_3

Metrô | Estações - Linha 15 / Prata - Monotrilho

 Localização

  • São Paulo

 

 Cliente

  • METRÔ – Companhia do Metropolitano de São Paulo

 

 Descrição dos Serviços

  • Execução de obras civis das estações Jardim Planalto, Sapopemba, Fazenda da Juta e São Mateus do sistema monotrilho, da Linha 15/Prata – Lote 02, do Metrô/SP contemplando obra bruta e acabamentos.

 

 

 Aspectos Relevantes

  • O Metrô de São Paulo, de forma inovadora, decidiu acelerar a sua expansão implantando no município de São Paulo o sistema Monotrilho, no qual trens elétricos com pneus de borracha trafegam abraçados a vias elevadas.

 

  • Os trens correrão a uma altura média de 15 m sobre pilares erguidos no canteiro central de grandes avenidas. Por ocupar um espaço ocisoso, o número de desapropriações necessárias será ínfimo perto de uma linha tradicional.

 

  • Movido a eletricidade, os trens que vão circular na via elevada são do tipo INNOVIA Monotrilho 300*, de sete carros, 86 m de comprimento total e capacidade para transportar 40.000 passageiros por hora por sentido (phps).

 

  • Os trens vão operar de forma plenamente automática (sem condutor) numa velocidade máxima de 80 km/h, com intervalos dinâmicos entre trens de até 75 segundos, com máxima segurança.

 

  • A nova Linha 15/Prata do Monotrilho terá 26,6 km de extensão e beneficiará meio milhão de passageiros por dia. As 17 estações elevadas, instaladas nos canteiros centrais das avenidas, são: Vila Prudente, Oratório, São Lucas, Camilo Haddad, Vila Tolstói, Vila União, Jardim Planalto, Sapopemba, Fazenda da Juta, São Mateus, Iguatemi, Jequiriçá, Jacu-Pêssego, Érico Semer, Márcio Beck, Cidade Tiradentes, e Hospital Cidade Tiradentes.

 

 

  • Os passageiros que hoje levam mais de duas horas no percurso entre Cidade Tiradentes e Vila Prudente, com o  Monotrilho de alta capacidade vão passar a efetuar esse deslocamento em apenas 50 minutos. Os moradores da Zona Lesta vão, assim, ganhar três horas por dia.

 

  • As estações elevadas medem 90 m de extensão, têm elevadores para portadores de necessidades especiais e também mais segurança, com a entrada liberada às plataformas somente após a compra da passagem, além de câmeras de vigilância nos trens e nas estações. As estações, em geral, terão acesso por meio de passarelas, que também servirão aos pedestres na travessia das avenidas onde elas forem instaladas.

 

  • A infraestrutura do Monotrilho esbanja leveza e conforto e vai permitir uma renovação do espaço urbano no local de implantação da linha. Será executado um projeto de paisagismo que inclui arborização sob a via elevada – nas calçadas adjacentes – e integração com as áreas verdes do entorno, formando corredores ao longo do percurso, que permitirão a criação de ciclovias. Após a conclusão do empreendimento a Zona Leste contará com cerca de 6.000 árvores, número cinco vezes maior do que o existente na atualidade.  

 

  • O prazo previsto para a execução dos serviços é de 26 meses, totalizando investimentos da ordem de R$ 151 milhões.

 

  • Materiais utilizados na obra:

- Concreto: 25.000 m³
- Aço: 4.000 toneladas
- Volume de terra movimentada: 50.000 m³
- Estruturas metálicas: 1.200.000 kg
- Estacas para fundação: 17.000 m


<< Voltar

Tel.: +55 (11) 3320-3000
contato@tiisa.com.br

SITE: Dit.a Design